quarta-feira, 20 de março de 2013

Por que não foi à Igreja?

                           
1 – Foi dormir tarde sábado à noite e de manhã fica muito cansada para se levantar: Fica a ver televisão até de madrugada; a conversar com conhecidos, desnecessariamente até altas horas da noite; fica preso à leitura de um livro e, principalmente, fica na Internet até tarde.

2 – Perde a hora: Esquece-se de accionar o despertador, acorda e volta a dormir (o famoso “vou dormir só mais 5 minutos!”) mas, quando se dá conta, já passou da hora de ir para a Igreja.
3 – Sente um mal-estar: Sente dores no corpo, dor de cabeça, tonturas, náuseas e tem sintomas de mal-estar geral, tudo no momento de sair de casa para ir à Igreja.

4 – Depois de acordada, sente um desânimo: Começa a pensar nas injustiças, problemas, desprezo por que está a passar e acaba por ficar convencida de que ir à Igreja, não compensa.
5 – Alguém de casa faz pouco da sua disposição: É pressionada por familiares em relação ao “porquê” de se levantar cedo e se arranjar para ir à Igreja, é ridicularizada por ter essa disposição.
6 – Recebe uma visita inesperada: Um parente, um amigo, um vizinho ou um conhecido chega justamente na hora de ir à Igreja.
7 – Sabe que vai encontrar alguém com quem teve um problema: Sabe que irá encontrar alguém que não quer ver: uma ex-namorada, ex-esposa, patrão, cliente, alguém a quem ela está a dever dinheiro ou um antigo desafecto.

8 – Antes de sair, recebe uma má notícia: Recebe um telefonema, chega uma correspondência, ou alguém com uma má notícia para desanimá-la completamente.
9 – Fica à espera de alguém: Fica à espera de alguém para ir com ela, e esse alguém acaba por faltar ao compromisso, ela acaba por faltar também por ter ficado na dependência daquela pessoa.
10 – Aborrece-se no carro ou nos transportes com um familiar: A caminho da Igreja, começa um desentendimento com familiares sobre um tema que não tem nada a ver com Deus.
11 – Perde-se no caminho: Toma a rua errada, distrai-se facilmente e logo se desmotiva. A distância de casa para a Igreja é grande, por isso chateia-se e volta para casa.
12 – Acontece um acidente: Acontece um acidente no caminho, por isso, fica logo intimidada e desiste de ir.
13 – No percurso, vê alguém da Igreja a dar um mau exemplo: Ao ver uma pessoa que participa nas Reuniões da Igreja a comportar-se de uma forma inadequada na rua, acaba por julgar, escandalizar-se e muda o seu rumo.

14 – Quando chega à porta, entram-lhe as dúvidas: Ao chegar à porta da Igreja, entram-lhe dúvidas se Deus irá ou não respondê-la, por isso, decide regressar.
15 – É maltratada por pessoas desconhecidas: No caminho, pessoas completamente desconhecidas insultam-na, ofendem-na e humilham-na sem nenhum motivo aparente.
16 – Sente-se acusada: Ao sentar-se sente-se sem condições de ali estar pelos muitos erros cometidos, por isso, levanta-se e vai-se embora.

17 – Houve mudanças de Bispo ou Pastor: Não se identifica com o novo Bispo ou Pastor, não gosta da Reunião e, por isso, acha-se no direito de não ir aos Domingos pela manhã.
18 – Não hoje, mas amanhã ou na semana que vem: Decide que não irá à Igreja por qualquer motivo e conforta-se com o pensamento de que ir noutro dia qualquer compensará por aquela ausência.
O que diremos a estes motivos, quando um deles se manifesta?

Está amarrada a força do mal que quer impedir o meu crescimento espiritual, causando isto para que eu não vá à Igreja. Sai do meu caminho agora, em nome do Senhor Jesus, porque eu estou a buscar a DEUS e com Ele andarei!


Por seu servo em Cristo, Bp. Júlio Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário