terça-feira, 22 de outubro de 2013

Criança birrenta: como lidar com essa situação?

                     
Parece impossível, mas há como controlar esses excessos
Gritar, bater os pés e se jogar no chão são apenas algumas das atitudes dos pequenos que tiram os pais do sério. É a famosa birra. Mas o que isso significa? Como evitar que as crianças ajam dessa forma?

Para a psicóloga Cecília Zylberstajn esta é uma atitude normal do desenvolvimento da criança, que geralmente acontece entre 1 e 2 anos. “É a maneira que ela encontra de manifestar a sua frustração, porque, nesta idade, não sabe expressar seus sentimentos.”

Porém, o limite da birra é quando a criança já consegue se expressar. “Isso acontece a partir dos 4 anos. Os pais devem ser firmes e ensiná-la que o que está errado é a reação, e não o que ela está sentindo”, explica a especialista.

Com as crianças menores, há diversas maneiras de lidar com essa atitude imatura. “Um dos jeitos é ignorar, desde que isso não coloque a criança em risco. A outra forma é contê-la fisicamente, sem agredir; de preferência, segurar de costas, para não ter contato visual, e esperar que se acalme. Se estiver em público, tirá-la do “palco”. A última dica é tentar distrair a criança. Se fizer isso no começo da birra, talvez funcione melhor que as outras opções”, aconselha Cecília.

Para a gerente administrativa Dayse Lúcia de Paula, o que funciona com sua filha Clara, de 3 anos e meio, é deixá-la sozinha. “No começo eu perdia muito a paciência, depois, aprendi que a criança só faz show se tiver plateia. Por isso, quando ela faz birra, a deixo sozinha. Depois de um tempinho ela para de chorar e me pede desculpa.”

Limites

Mas há também formas de evitar que os pequenos cheguem a este ponto. “Para isso, além de ensinar os limites desde cedo, os pais precisam mapear o momento ou as circunstâncias em que isso acontece mais, como, por exemplo, quando está com fome ou cansada, para impedir que a criança chegue a este extremo”, esclarece a psicóloga.

De acordo com ela, a falta de atitude e correção dos pais pode trazer graves consequências ao desenvolvimento da criança. “Serão adolescentes e adultos que não sabem lidar com os limites que a vida impõe. Tem que ensinar desde cedo que a criança não pode tudo o que quer, para que ela seja um adulto autoconfiante, que saiba driblar as dificuldades”, finaliza Cecília.

Fonte: Arca universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário