segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Sim senhor! Sim senhora!


Foi-se o tempo em que os pais eram chamados de “senhor” e “senhora”. Não tratá-los assim era sinônimo de desrespeito. O tempo passou e chegou a época em que “mamãe” e “papai”  eram nomes usados até pelos filhos marmanjões, que faziam questão de pedir a bênção antes de dormir. O apelido diminuiu, “pai” e “mãe” são os mais usuais, isso quando são ditos – e respeitados.

Com a diminuição dos chamamentos o respeito também diluiu-se e talvez mais rapidamente. Hoje, os pais são os últimos a serem ouvidos pelos filhos. As novidades, as dúvidas e até mesmo a confiança foram transferidas para os amigos da escola, o vizinho e até mesmo para aqueles com pouco tempo de amizade.
Há um mandamento na Palavra que muitos deixam de lado ou consideram “ultrapassado”, mas que diz tudo sobre obediência e a consequência de quem despreza os pais.

Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.” – Efésios 6:1-3.
O respeito por um simples pedido de levar o guarda-chuva, de não chegar tarde, de dirigir com cuidado, de respeitar as autoridades entre muitas outras situações foi ignorado. Mas por que isso aconteceu?
Será que muitos pais não estão dispostos a educar, mas sim impor? Será que a conversa, o relacionamento entre pais e filhos realmente existe ou o afã de ter mais recurso financeiro roubou o tempo de dedicação que deveria ser para a família e filhos?
E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” – Efésios 6:4
Não há culpados quando as consequências são inúmeras. Não há como dizer se o erro está aqui ou ali. Mas o fato é que se o respeito aos pais ainda existisse, mesmo que mínimo, muitas desgraças não seriam notícias diariamente. Se esses mesmos pais também respeitassem as mudanças da nova geração, sem impor, mas abertos para entenderem e assim educarem da melhor forma, talvez os filhos tivessem mais prazer em ouvi-los e eles não seriam alvo de tanta desobediência.
Obedecer sim, sacrificar jamais!

Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros.” – 1 Samuel 15:22.
Obedecer aos pais saiu de moda?
Foi-se o tempo em que os pais eram chamados de “senhor” e “senhora”. Não tratá-los assim era sinônimo de desrespeito. O tempo passou e chegou a época em que “mamãe” e “papai”  eram nomes usados até pelos filhos marmanjões, que faziam questão de pedir a bênção antes de dormir. O apelido diminuiu, “pai” e “mãe” são os mais usuais, isso quando são ditos – e respeitados.

Com a diminuição dos chamamentos o respeito também diluiu-se e talvez mais rapidamente. Hoje, os pais são os últimos a serem ouvidos pelos filhos. As novidades, as dúvidas e até mesmo a confiança foram transferidas para os amigos da escola, o vizinho e até mesmo para aqueles com pouco tempo de amizade.

Há um mandamento na Palavra que muitos deixam de lado ou consideram “ultrapassado”, mas que diz tudo sobre obediência e a consequência de quem despreza os pais.

“Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.” – Efésios 6:1-3.

O respeito por um simples pedido de levar o guarda-chuva, de não chegar tarde, de dirigir com cuidado, de respeitar as autoridades entre muitas outras situações foi ignorado. Mas por que isso aconteceu?

Será que muitos pais não estão dispostos a educar, mas sim impor? Será que a conversa, o relacionamento entre pais e filhos realmente existe ou o afã de ter mais recurso financeiro roubou o tempo de dedicação que deveria ser para a família e filhos?

“E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” – Efésios 6:4

Não há culpados quando as consequências são inúmeras. Não há como dizer se o erro está aqui ou ali. Mas o fato é que se o respeito aos pais ainda existisse, mesmo que mínimo, muitas desgraças não seriam notícias diariamente. Se esses mesmos pais também respeitassem as mudanças da nova geração, sem impor, mas abertos para entenderem e assim educarem da melhor forma, talvez os filhos tivessem mais prazer em ouvi-los e eles não seriam alvo de tanta desobediência.

Obedecer sim, sacrificar jamais!
“Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros.” – 1 Samuel 15:22.
Fonte: Arca universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário