sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Você arrancaria os próprios olhos?

                     
Lagartixas e camundongos se automutilam para proteger a própria vida. E você, o que faria para preservar a salvação?
Há algumas passagens na Bíblia que podem nos deixar intrigados e nem sempre conseguimos compreender de imediato o que querem dizer. Existe uma, em especial, que diz:

“Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno.” Mateus 5.29-30

Mas, como assim, arrancar um olho, cortar a mão? Deus quer realmente que nos automutilemos? Não seria isso uma contradição quando diz que o nosso corpo é Templo do Seu Espírito? Por que feri-Lo, então?

Isso não parece uma incoerência?

Não, não é. Porque Jesus fala no sentido figurado e não literal, o que nos permite compreender a Sua orientação.

Antes disso, porém, vamos falar de uns bichinhos que fazem exatamente o que lemos acima. Isso mesmo! Eles se autoamputam, porque possuem um motivo bem inteligente, apesar de drástico, para isso.
Há algumas lagartixas e camundongos que, quando se sentem ameaçados por um predador, perdem a cauda, membros e até e pele para escapar do perigo. Depois esses tecidos se regeneram, no entanto, para não correr o risco de serem tragados, deixam para trás parte de seus corpos, preservando o que eles têm de mais importante: a própria vida.

É interessante como esse exemplo se assemelha, em parte, com o que Jesus falou. E mais interessante ainda como podemos aprender com os répteis, anfíbios, crustáceos e até mamíferos, como é o caso dos camundongos, a nos proteger dos perigos que constantemente nos rodeiam.

Quer dizer, portanto, que se nos sentirmos tentados a roubar, devemos lançar fora as nossas mãos? Se nossos pés nos direcionarem a um lugar impróprio, devemos ficar coxos? Ou se meus olhos virem algo que seria bom não ver, o melhor a fazer é furá-los ou mesmo arrancá-los?

Não é nada disso; mas, simplesmente, proteger o que temos de mais importante, que é a salvação, evitando olhar, ir a lugares ou praticar coisas que não vão nos fazem bem.

Espiritualmente falando, se tivermos de desviar a atenção dos nossos inimigos, deixando de ver, falar, cometer atos que vão nos prejudicar, ou andar por caminhos incertos e inseguros, mesmo que isso nos cause dor, sentimento de perda e sacrifício, ainda assim é preferível amputar essas más vontades e desejos enganosos a correr o risco de sermos tragados pelos “predadores da alma”.

Ah! Pode ser que esses bichinhos até sintam dor quando deixam para trás partes do corpo, mesmo assim sabem que é o ideal, a única alternativa que têm se quiserem permanecer vivos. E, no nosso caso, salvos.

Fonte: Universal Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário